top of page
  • EmiLou

Lisieux na França - Cidade de Santa Teresinha do Menino Jesus

Atualizado: 8 de fev.

Lisieux, na parte baixa da Normandia, é um lugar interessante e diferente para se visitar. É uma cidade muito pequena com uma população de cerca de 22.000 habitantes, mas apesar de seu tamanho relativamente pequeno, contém uma enorme basílica e uma grande catedral. Por causa disso, e da grande população de freiras e monges carmelitas, a cidade é muito religiosa. A cidade era de fato o lar de três santos (todos da mesma família).


Lisieux fica a apenas 30 a 40 minutos dos portos de Caen e Le Harve, é a principal cidade do Pays d'Auge (mais sobre isso depois) no departamento de Calvados na região da Baixa Normandia e é um bom lugar para conhecer um pouco sobre os queijos e sidras franceses. Há grandes mercados de rua às quartas e sábados, onde você pode comprar qualquer coisa, desde queijo francês até roupas francesas.


Muitas pessoas, no entanto, vêm a Lisieux como um local de peregrinação baseado no culto de Santa Teresa, a figura espiritual francesa mais popular dos últimos cem anos. Passividade, auto-anulação e uma abnegação que beirava o masoquismo eram suas marcas registradas, e ela é homenageada pela vistosa e gigantesca Basilica de Santa Teresa, concluída em 1954 em uma encosta a sudoeste do centro da cidade. Os enormes mosaicos modernos que decoram a nave são inegavelmente impressionantes. Os fiéis e os turistas podem andar de "pequeno trem" pelos locais mais sagrados, que incluem o restrito, em comparação com a basílica, Catedral de Sao Pedro.


A cidade de Lisieux

A cidade é velha. Costumava ser a capital dos Gaulles até que os romanos assumiram. Tornou-se uma importante cidade romana (ainda se podem ver algumas das ruínas romanas), mas foi apenas no século IV d.C. que se tornou mais “local”. Há também muita influência alemã na cidade.


Lisieux foi muito danificada durante a Segunda Guerra Mundial, e isso mostra. Embora algumas casas e edifícios tenham escapado dos intensos bombardeios da Segunda Guerra Mundial, a maioria dos edifícios foi destruída.


Felizmente eles reconstruíram a cidade com cuidado. Embora muitos dos edifícios “mais novos” sejam apenas isso; novo, eles pelo menos mostram algum caráter e não são apenas blocos de concreto. Os edifícios mais novos não são pouco atraentes, embora nunca possam substituir os edifícios históricos que a cidade tinha antes da Segunda Guerra Mundial.


Alguns dos novos edifícios foram construídos no antigo estilo da Normandia com madeira e tijolos. Eles se encaixam bem, mas você pode ver que são novos.


Onde quer que você vá em Lisieux, você sempre encontrará rios. Existem 4 deles, sendo o rio principal o Touques e três rios que desaguam nos Touques; o Orbiquet, o Cirieux e o Graindain.


Existem até eclusas em alguns dos rios usados ​​para manter os níveis de água.


Basílica de Santa Teresa de Lisieux.

A Basílica de Santa Teresa de Lisieux foi construída em homenagem a Santa Teresinha do Menino Jesus, beatificada em 1923 e canonizada em 1925. Foi construída para os peregrinos que vinham em número crescente para venerar a nova santa na cidade onde ela viveu e morreu.


É o segundo local de peregrinação mais visitado da França (depois de Lourdes), com 2 milhões de visitantes por ano. Poderia ser qualificado em uma palavra: imponente!


A Basílica está localizada bem perto de uma das principais rodovias Norte-Sul da costa oeste (perto de Deauville), a A29.


A basílica está situada no alto de uma colina com vista para a cidade de Lisieux, na Normandia. A igreja pode ser vista da maioria dos lugares da cidade. A basílica é uma das maiores construções de igreja do século XX e impressiona muito!!


A construção da basílica começou em 1929 e foi concluída em 1954 (com uma interrupção durante a Segunda Guerra Mundial). Embora os bombardeios da Segunda Guerra Mundial tenham danificado a maior parte da cidade, a basílica conseguiu escapar praticamente intacta. O financiamento da igreja foi 100% privado com doações de todo o mundo.


Três gerações de arquitetos trabalharam no projeto; Cordonnier – avô, pai e filho.


Em frente ao edifício, à direita, há uma torre sineira muito alta (mais sobre ela mais abaixo). Vários grandes estacionamentos cercam a igreja por todos os lados, discretamente escondidos.


Dentro da igreja eh tudo muito lindo! Mosaicos, vitrais, muito ouro e muita imponencia. Muito impressionante e deslumbrante!


Nos altares laterais, também é possível comprar lembranças e acender velas em homenagem à Santa Teresinha.


A igreja é muito famosa e recebe cerca de 800 a 900 peregrinos por ano, sendo mais de 100 mil brasilerios. Quando estávamos lá, encontramos duas excursões de brasileiros.



Mosteiro do Carmelo

O mosteiro do Carmelo e os edifícios de peregrinação adjacentes ocupam uma enorme quantidade de espaço. A parte principal do mosteiro do Carmelo está localizada em frente ao Posto de Turismo. O próprio mosteiro foi fundado em 1838 e teve como moradora proeminente a freira que mais tarde se tornaria Santa Teresa (também conhecida como “Sacra Guardiã dos Jardins” ou “A Pequena Flor”).


A ordem religiosa dos Carmelitas remonta ao século XII com sede em Roma, Itália. Ocupa um lugar importante dentro da Igreja Católica, e o capítulo de Lisieux tanto que o Papa Jean-Paul II visitou Lisieux e o mosteiro do Carmelo em 1980.


Capela do Carmo

A pequena capela do mosteiro do Carmelo merece uma visita. Está rodeado por vários edifícios concebidos para acolher e informar os peregrinos que vêm em peregrinação (à Basílica de Santa Teresa). Visitas guiadas diárias estão disponíveis em diferentes idiomas.


Vários edifícios acomodam os milhões de peregrinos que vêm aqui todos os anos e foram concebidos para facilitar a circulação de cadeiras de rodas e pessoas com problemas de locomoção.


Ao caminhar pela cidade, especialmente perto dos monumentos religiosos, você encontrará muitas lojas de souvenirs religiosos (assim como em Lourdes, já que esta é a 2ª cidade de peregrinação mais visitada da França, 2ª apenas para Lourdes).





Castelo de Saint-Germain-de-Livet.

Como o próprio nome indica, o Château de Saint-Germain-de-Livet está situado na comuna de Saint-Germain-de-Livet. Encontra-se em frente à igreja da vila, que data do século XIX. O castelo é propriedade da cidade de Lisieux desde 1958, quando foi doado pela família Riesener.


Do ponto de vista arquitectónico, o castelo é composto por um solar em enxaimel datado do século XV e um edifício de tijolo e pedra vidrados do Pré-d'Auge datado do final do século XVI.


O castelo combina elementos medievais e renascentistas e é cercado por um fosso e um jardim de pavões.


Catedral de São Pedro

A Catedral de Saint-Pierre de Lisieux é um monumento raro que sobreviveu ao bombardeio aliado de 1944. Embora a catedral exista desde o século VI, a igreja que vemos hoje deve ter sido construída entre 1160 e 1230 pelo bispo Arnoul.


Desde o início, o arquiteto projetou abóbadas quadripartidas e arcobotantes, tornando-o um dos primeiros edifícios góticos da Normandia. A nave é bastante austera e é inspirada no estilo gótico da Ile de France, enquanto as partes mais recentes do edifício foram construídas no século XVIII (a cabeceira, a torre da lanterna e a fachada ocidental) em estilo normando.


Alega-se erroneamente que Henrique, o Conde de Anjou, o Duque da Normandia e o futuro rei da Inglaterra se casou com Eleanor da Aquitânia na catedral em 1152. Tendo sido envolvido no julgamento de Joana d'Arc, Pierre Cauchon foi de fato nomeado como Bispo de Lisieux em 1432 e lá está sepultado.


Um pouco sobre Santa Teresa de Lisieux 1873 - 1897.

Gerações de católicos admiraram essa jovem santa, a chamaram de "Pequena Flor", e encontraram em sua curta vida mais inspiração para a própria vida do que em volumes de teólogos.


No entanto, Teresa Martin, mais conhecida como Santa Teresa morreu de Tuberculose quando tinha 24 anos, depois de ter vivido como carmelita enclausurada por menos de dez anos. Ela nunca foi em missões, nunca fundou uma ordem religiosa, nunca realizou grandes obras. O único livro dela, publicado após sua morte, foi uma breve versão editada de seu diário chamada "Story of a Soul". (Coleções de suas cartas e versões restauradas de seus diários foram publicadas recentemente.) Mas, 28 anos após sua morte, a demanda do público foi tão grande que ela foi canonizada.


Ao longo dos anos, alguns católicos modernos se afastaram dela porque a associam a uma piedade excessivamente sentimentalista e, no entanto, a mensagem que ela tem para nós ainda é tão convincente e simples quanto há quase um século.


Teresa nasceu na França em 1873, filha mimada de uma mãe que queria ser santa e de um pai que queria ser monge. Os dois haviam se casado, mas decidiram que seriam celibatários até que um padre lhes disse que não era assim que Deus queria que um casamento funcionasse! Devem ter seguido muito bem o conselho dele porque tiveram nove filhos. As cinco crianças que viveram eram todas filhas que foram próximas durante toda a vida.


Tragédia e perda vieram rapidamente para Therese quando sua mãe morreu de câncer de mama quando ela tinha quatro anos e meio. Sua irmã Pauline, de dezesseis anos, tornou-se sua segunda mãe – o que tornou a segunda perda ainda pior quando Pauline entrou no convento carmelita cinco anos depois. Alguns meses depois, Therese ficou tão doente com febre que as pessoas pensaram que ela estava morrendo.


A pior parte para Therese era todas as pessoas sentadas ao redor de sua cama olhando para ela como, ela disse, "um fio de cebolas". Quando Teresa viu suas irmãs rezando para a estátua de Maria em seu quarto, Teresa também rezou. Ela viu Mary sorrir para ela e de repente ela estava curada. Ela tentou manter a graça da cura em segredo, mas as pessoas descobriram e a atormentaram com perguntas sobre o que Mary estava vestindo, como ela era. Quando ela se recusou a ceder à curiosidade deles, eles contaram a história de que ela havia inventado a coisa toda.


A Basílica de Santa Teresinha em Lisieux hoje abriga as relíquias da santa francesa, bem como o túmulo de seus pais.


O espaço ainda conta com um centro de acolhimento pastoral para os peregrinos, uma livraria e espaços para encontros, eventos e conferências.




Casa da Família de Santa Teresa

A casa da família de Santa Teresa, Les Buissonnets, é aberta a visitação e esta repleta de objetos familiares. É possível conhecer o quarto da santa, com suas roupas e brinquedos.



O jardim da casa também é muito bonito, cheio de flores e uma estátua da Santa ajoelhada pedindo ao seu pai para entrar para o convento das carmelitas.


Assista também o vídeo da nossa visita a Basílica de Santa Teresa clicando aqui.


Se você gostou das dicas, aproveita e segue também a gente no Instagram @emiloudaybyday 
Assim você poderá acompanhar todas as nossas viagens em tempo real!
 

Planejando sua viagem para Londres ou qualquer outro destino no Reino Unido?


Sinta-se à vontade para explorar todas as valiosas dicas disponíveis no site e canal no YouTube EmiLou Day By Day, que estão aqui para ajudar o seu planejamento.



Não deixe de conferir as recomendações de pubs e restaurantes, dicas de passeios bate e volta saindo de Londres, além das informações mensais sobre Londres, sempre atualizadas para manter você informado sobre os eventos mais interessantes ao longo do ano. Descubra todas as dicas para aproveitar Londres e o Reino Unido por quem entende de verdade! Irmãs Viajantes UK Travel Experts  🇬🇧✈️

 

Kommentare


bottom of page