top of page
  • EmiLou

O que fazer em Greenwich em Londres em 1 dia: melhores coisas para fazer

Vai visitar Londres e quer passar um dia em Greenwich, mas não sabe por onde começar? Este guia é a sua solução! Apresentamos uma seleção completa das melhores atrações em Greenwich. Aqui, você encontrará toda a inspiração necessária para aproveitar ao máximo sua visita ao sul do Tâmisa


Você simplesmente não pode ir a Londres e não passar pelo menos um dia em Greenwich. Onde mais no mundo você pode estar com um pé no hemisfério oeste do mundo e outro no hemisfério leste? Então vamos! Mas primeiro, vamos descrever onde fica Greenwich e como você pode chegar lá.

O que fazer em Greenwich em Londres

Greenwich em Londres

Poucas pessoas sabem que Greenwich é apenas um bairro de Londres. Embora não esteja exatamente no centro da cidade, também não é tão afastado assim, graças às boas conexões de trem e metrô.


O Royal Borough of Greenwich fica no sudeste de Londres, e o extremo norte da área fica às margens do famoso rio Tâmisa. E ao chegar lá, parece uma viagem no tempo. Mesmo com a vista de Londres do outro lado do rio e os arranha-céus de Canary Wharf logo ali, é impossível ignorar a sensação de estar em um lugar muito, muito distante.


A primeira impressão é a de que Greenwich é uma cidade pequena. Não há prédios altos ou grandes avenidas. O que realmente define o cenário é o Greenwich Park, com sua vasta extensão de grama verde cercada por edifícios históricos e museus por todos os lados, culminando no edifício do Royal Observatory, situado no topo de uma colina no centro do parque.


Muitas pessoas não sabem exatamente onde fica Greenwich, mas certamente esse é um nome que todo mundo já ouviu falar.


GMT, Greenwich Mean Time, é a linha longitudinal que marca a posição zero do fuso horário mundial. Esta linha também divide o mundo entre Ocidente e Oriente. E, ao contrário do que muitos podem pensar, ela não é nada imaginária! A linha está demarcada dentro do Royal Observatory, fundado em 1675 pelo Rei Charles II, com o propósito de estudar e aprimorar as técnicas de navegação praticadas na Inglaterra. No entanto, o GMT só foi realmente estabelecido em 1884.


Hoje em dia, o Observatório funciona como museu, exibindo instrumentos e técnicas antigas usadas para o estudo dos astros, além de, é claro, a linha do meridiano. O ponto onde Oriente e Ocidente se encontram. No chão de Greenwich, ao longo dessa linha, estão gravadas as principais cidades de ambos os hemisférios, indicando quantos graus de longitude elas estão do meridiano. Abordaremos mais detalhes sobre a linha do meridiano adiante no texto.


Como chegar a Greenwich em Londres?

Greenwich é bem servida pela London Transport, e você pode chegar lá de metrô, trem, Docklands Light Railway (DLR), ônibus ou até mesmo de barco. Embora exista uma estação de metrô em North Greenwich, muitas pessoas acham mais fácil viajar para o bairro de trem principal. Há trens regulares saindo da London Bridge (que se conecta às linhas Jubilee e Northern), e a viagem de lá para Greenwich leva menos de 10 minutos.


A estação Maze Hill fica mais próxima de algumas das principais atrações de Greenwich, Londres, portanto, verifique antes de viajar se deseja caminhar menos. Para cada uma das coisas para ver em Greenwich, Londres listadas neste guia, fornecemos a estação mais próxima para que você possa escolher para onde viajar.


Alternativamente, pegue o Docklands Light Railway (DLR) da estação de metrô Bank até a estação Cutty Sark (para Maritime Greenwich), que está localizada a cerca de 3 minutos a pé do Cutty Sark e do Greenwich Foot Tunnel.


Alguns viajantes gostam de chegar a Greenwich em grande estilo, pegando um barco através do Tâmisa saindo do centro de Londres! Tudo isso faz parte da rede de transporte de Londres, e o serviço frequente de barco é operado pela Thames Clippers. Em nossa última visita, fomos de barco e tiramos várias fotos dos pontos turísticos de Londres - vale muito a pena esse passeio!


de barco para Greenwich - irmãs viajantes

Também há ônibus para Greenwich, mas se eles são convenientes realmente depende de onde você está hospedado. Para a maioria dos turistas, ir para a estação principal de Greenwich é a opção mais fácil e rápida, a menos que você queira ir primeiro à arena O2.


Lembre-se que a estação Greenwich North fica perto da arena O2 e a alguns quilômetros de muitas das coisas para ver e fazer em Greenwich. É por isso que vale a pena planejar cuidadosamente sua viagem de um dia a Greenwich!


Ingressos

Algumas das atrações listadas aqui fazem parte do Patrimônio Mundial da Humanidade de Greenwich Marítimo (Maritime Greenwich World Heritage Site). Eles têm ingressos diários especiais chamados day pass, que são válidos para diversas atrações, ou você pode simplesmente comprar ingressos separados se visitar apenas um ou dois lugares. Como alternativa, verifique o London Explorer Pass, que inclui uma visita ao Royal Observatory, Cutty Sark e muitos outros pontos turísticos imperdíveis de Londres.


O que fazer em Greenwich em Londres?


1. Old Royal Naval College & The Painted Hall

O Old Royal Naval College faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO e é definitivamente imperdível em Greenwich. No entanto, a principal razão pela qual o listamos como uma das primeiras e melhores coisas para fazer em Greenwich é o recém-restaurado Painted Hall.


O Painted Hall não é apenas uma das melhores coisas para se fazer em Greenwich; é um dos melhores lugares para ver em Londres!


Pintado por James Thornhill entre 1707 e 1726 e recentemente restaurado, The Painted Hall é uma verdadeira obra-prima. Muitos o comparam com a Capela Sistina de Roma – e com certeza surpreende!


Greenwich em Londres

um pouco de história...

A magnífica arquitetura e os belos jardins do Old Royal Naval College não podem ser perdidos durante a sua visita a Greenwich. O Colégio fica no local do antigo Palácio de Greenwich.


Em 1694, o rei William III – honrando os desejos de sua esposa, a rainha Mary II – emitiu um mandado real a Sir Christopher Wren para transformar o local em um Hospital Real para Marinheiros. O prédio pretendia rivalizar com o Hospital Chelsea, construído para o exército. Certamente correspondeu às expectativas e é considerado um marco britânico e um dos melhores edifícios do mundo.


O Old Royal Naval College está dividido em quatro quadrantes, o que realmente o diferencia do ponto de vista arquitetônico. Foi construído desta forma para dar à Rainha Mary uma vista desobstruída do Rio Tâmisa a partir da Queen’s House (a pedido dela).


As esplêndidas torres abobadadas no topo dos blocos King William e Queen Mary são semelhantes à cúpula da Catedral de São Paulo em Londres, mas são significativamente menores. Cada torre tem um mostrador de relógio.


Porém, se você olhar com atenção, verá que apenas um deles indica as horas. A outra marca os pontos cardeais e está ligada a um cata-vento no telhado. Originalmente, o objetivo era ajudar os navios que navegavam ao longo do Tâmisa, para que pudessem dizer rapidamente em que direção o vento soprava.


Em 1869, o hospital fechou. Até 1996, parte do complexo serviu como colégio de formação naval. Hoje, tanto a Universidade de Greenwich quanto o Conservatório de Música e Dança Trinity Laban oferecem aulas lá, enquanto o restante do prédio e do terreno estão abertos ao público.


Fatos interessantes: Se você acha que já viu alguma parte do Colégio Naval antes, ficará interessado em saber que ele foi usado para filmar vários filmes, incluindo Quatro Casamentos e um Funeral, Lara Croft: Tomb Raider, Les Miserables and Thor 2.


The Painted Hall

Roma tem a Capela Sistina e Londres tem o Painted Hall, um espaço impressionante de 4.000 metros quadrados repleto de arte barroca deslumbrante.


Porém, há uma grande diferença: você pode visitar o Painted Hall no seu próprio ritmo e aproveitar o tempo para admirar esta obra-prima. Então visite-a antes que o resto do mundo descubra e antes que fique tão movimentada quanto a Capela Sistina…


O Hall foi originalmente projetado como sala de jantar para marinheiros, dentro do Old Royal Naval College, que originalmente servia como hospital. Em 1707, o artista britânico James Thornhill foi contratado para decorar o salão. Ele levou dezenove anos para concluir esta obra-prima. Diz a lenda que sua postura foi permanentemente afetada por passar tanto tempo deitado de costas, com um braço levantado.


A impressionante obra de arte celebra uma época de domínio em toda a Europa pelo recém-formado Reino Unido da Grã-Bretanha. As pinturas retratam temas de sucessos navais, conquistas culturais, mudanças políticas e muito mais – tudo em cenários magníficos.


Quando concluído, o salão foi considerado grande demais para ser usado como sala de jantar, por isso foi aberto à visitação do público pagante e utilizado para funções especiais. Foi aqui que o almirante Lord Nelson esteve em estado de honra em 1806, e uma placa mostra o local exato onde o caixão estava situado. Depois, de 1937 a 1997, o Painted Hall voltou a ser uma sala de jantar, para oficiais estagiários da Marinha Real.


Em outubro de 2016, o Painted Hall foi fechado para restauração – um projeto que durou mais de dois anos e custou mais de £8 milhões. Já foi reaberto e você pode ver as pinturas em toda a sua glória, com cores vivas e deslumbrantes. O Painted Hall já vale uma viagem por si só!


Dica das irmãs viajantes: Para realmente aproveitar ao máximo a experiência, experimente deitar-se de costas nas “espreguiçadeiras” de carvalho especialmente esculpidas. Aparentemente, foi assim que Lord Nelson também gostou de ver a arte!

Informações Práticas para a sua visita

O ingresso para o Painted Hall inclui um guia multimídia e um guia impresso, que ajudam você a aproveitar ao máximo sua visita. Achamos que é realmente obrigatório, pois permite que você explore realmente o Painted Hall e entenda melhor a obra de arte e a história por trás dela. A atenção aos detalhes é incrível!


Alternativamente, você pode participar de uma das visitas guiadas de 30 a 45 minutos. Eles também estão incluídos no preço do ingresso e funcionam várias vezes ao dia. Os guias experientes realmente ajudam a dar vida à fascinante história e às pinturas!


Se você estiver visitando um grupo familiar, pergunte sobre as novas trilhas familiares com mochilas sensoriais. As crianças vão adorar os dois “baús de tesouro” no Painted Hall, que contêm treze “objetos de manuseio” conectados ao teto. Isso inclui itens com os quais eles podem se vestir, como uma coroa, uma capa e até uma réplica do Boné Vermelho da Liberdade do Rei William!


Existe agora um elevador no subsolo que leva você até o Painted Hall, por isso é acessível para cadeiras de rodas pela primeira vez.


O Painted Hall está aberto diariamente, exceto em alguns feriados, das 10h00 às 17h00. É altamente recomendável reservar seus ingressos online.


Se você estiver viajando no verão ou durante as férias escolares/fins de semana, adquira seus ingressos com antecedência e visite no início da manhã, antes da chegada dos grupos turísticos.


Chapel of St. Peter & St. Paul

Esta bela capela neoclássica também está localizada dentro do Antigo Real Colégio Naval, em frente ao Painted Hall. Originalmente concluído em 1752, foi destruído por um incêndio em 1779 e depois reconstruído por James ‘Ateniense’ Stuart.


O teto ornamentado, o piso de mármore e a abundância de elementos decorativos fazem com que valha a pena uma visita curta. Não perca o magnífico órgão feito por Samuel Green, o principal construtor de órgãos de sua época.


Uma das melhores maneiras de vivenciar isso é simplesmente sentar-se e absorver a paz e a serenidade do ambiente. Você não precisa de mais do que alguns minutos para visitá-lo, então não deixe de conferir depois de visitar o Salão Pintado.


Informações práticas: A entrada na Capela é gratuita. Ainda funciona como local de culto ativo e funciona de segunda a sábado, das 10h às 17h. Aos domingos, está aberto ao culto público a partir das 11h e à visitação a partir das 12h30.


Rei William e Rainha Mary Undercroft

Abaixo do Painted Hall está o rei William Undercroft. Originalmente, servia como área de jantar para os marinheiros aposentados, uma vez que o Salão acima foi considerado grande demais para eles usarem!


O Undercroft foi reformado junto com o Painted Hall. Agora abriga o Painted Hall Cafe, uma loja de varejo e uma galeria de interpretação.


Enquanto você aprecia a comida sazonal e de alta qualidade do café, reserve um momento para apreciar o estilo "barroco e moderno" do design do Undercroft, com seu toque de arqueologia Tudor e fundações de pilares originais.


Curiosamente, escavações durante o processo de restauração descobriram duas salas do Palácio de Greenwich do rei Henrique VIII. Uma delas seria uma sala de serviço e a outra, com nichos inusitados, seriam ‘buracos de abelha’, onde as colmeias reais eram guardadas durante o inverno!


O Queen Mary Undercroft pode ser encontrado abaixo da capela na torre oposta. Geralmente é fechado ao público e utilizado para eventos privados como casamentos, mas você pode vê-lo desde a entrada.


Informações práticas: O Café Painted Hall no Undercroft está aberto diariamente das 10h00 às 16h30, para visitantes do Painted Hall e para o público em geral.

Outros pontos de interesse localizados dentro do Royal Naval College incluem King William Undercroft, Queen Mary Undercroft, Capela de São Pedro e São Paulo, Ripley Tunnel e Victorian Skittle Alley. Todos estes locais são de entrada gratuita e não requerem muito tempo, por isso não perca quando visitar o Antigo Colégio Naval Roal.


The Painted Hall Cafe funciona diariamente das 10h00 às 17h00. Acessível a cadeiras de rodas. Você pode reservar seu ingresso on-line com antecedência ou na chegada. Como já mencionado, as demais partes do Old Royal Naval College podem ser visitadas gratuitamente.


Ripley Tunnel

Se você planeja visitar a Capela e o Painted Hall, recomendamos que caminhe de um para o outro pelo Túnel Ripley. Esta passagem subterrânea também é conhecida como Chalk Walk.


Este túnel subterrâneo foi adicionado ao edifício original de Sir Christopher Wren por Thomas Ripley, a fim de ligar os blocos Queen Mary e King William do hospital. A ideia era facilitar a circulação de funcionários e marinheiros entre os prédios.


O túnel – revestido com brasões de oficiais da Marinha (incluindo o almirante Lord Nelson) – é de visita gratuita e está aberto todos os dias das 10h00 às 17h00.


Victoria Skittle Alley

Possivelmente, uma das coisas mais legais para fazer no Royal Naval College é visitar o Victorian Skittle Alley. Está localizado no final do Túnel Ripley, abaixo da Capela. Esta histórica pista de boliche leva você de volta no tempo até o século XIX.


A pista de boliche foi construída originalmente a pedido dos marinheiros aposentados que moravam na (então) enfermaria. Eles tinham pouco mais para se divertir, então uma pista de boliche era uma bênção. Os pinos e bolas são feitos de madeira, retirados de navios estacionados em Deptford. Você pode até jogar um jogo, se quiser!


O Victorian Skittle Alley é imperdível se você estiver visitando o Old Royal Naval College com crianças. As crianças vão se divertir jogando boliche à moda antiga! Embora as bolas sejam incrivelmente pesadas e não tenham buracos para os dedos, talvez você precise ajudar os membros mais jovens da família. Uma coisa a ter em mente também: você mesmo terá que colocar os pinos de volta no lugar e rolar as bolas para trás.


Informações práticas: A visita ao Victorian Skittle Alley é gratuita, mas pode estar fechada em determinados horários.


Informações adicionais para visitar o Old Royal Naval College

Reserve pelo menos uma hora – uma hora e meia para a sua visita ao Old Royal Naval College. Isso lhe dará tempo para explorar o Painted Hall e ver rapidamente as outras atrações mencionadas acima. Se você também quiser passear pelos belos jardins tranquilos e ver os edifícios de fora, precisará de um pouco mais de tempo.


O Old Royal Naval College fica a poucos passos do Cutty Sark e do porto onde atracam os barcos do centro de Londres. Está aberto diariamente das 10h00 às 17h00, enquanto o recinto funciona das 8h00 às 23h00.


Acessibilidade: O edifício é acessível a cadeiras de rodas e dispõe de elevadores e rampas. Existem também fraldários acessíveis a cadeiras de rodas.


Onde comer: Você pode desfrutar de uma deliciosa refeição na Old Brewery, no local, que possui um café, bar e restaurante que serve comida britânica de alta qualidade e de origem local.


2. The Queen's House

Construída no início do século XVII, a Queen’s House foi o primeiro edifício verdadeiramente clássico do Reino Unido. Foi projetada pelo arquiteto Inigo Jones como uma casa com jardim privado para Ana da Dinamarca, rainha consorte do rei Jaime I.


As obras na casa começaram em 1616, mas apenas 3 anos depois Anne morreu e o edifício foi coberto de palha ao nível do solo. Permaneceu assim até 1629, quando Jones começou a trabalhar novamente sob a direção da Rainha Henrietta Maria, esposa de Carlos I. O edifício foi finalmente concluído por volta de 1635 e tornou-se uma importante residência para a Dinastia Stuart.


Em 1642, a Guerra Civil começou e a Rainha Henrietta foi exilada e Charles executado. Naquela época, o estado confiscou sua propriedade e também a Casa da Rainha. Henrietta regressou à Casa da Rainha após a sua restauração em 1660.


O design da Queen’s House foi algo que abriu os olhos na sua época, um edifício vanguardista que estava muito à frente do seu tempo.


Inigo Jones passou vários anos na Itália no início de 1600, estudando arquitetura, arte e filosofia. Ele foi fortemente influenciado pelo estilo de construção renascentista que ali viu. Ele foi o primeiro arquiteto a introduzir o design clássico na Inglaterra, com ênfase na harmonia e na proporção. A aparência simétrica da Queen’s House era surpreendentemente diferente dos palácios de tijolos vermelhos mais comuns na época.


Greenwich em Londres
Foto tirada da janela da Queen's House - que vista!!

A escada de tulipas

O projeto da Escadaria de Tulipas foi influenciado pela escrita e obra do arquiteto italiano Palladio. Em particular, a escadaria de Palladio no Mosteiro Carita, Veneza. Jones, o arquitecto da Casa da Rainha, observou “… têm muito sucesso (escadas) que são vazias no meio porque podem ter luz de cima”.


Foi essa constatação que inspirou a escadaria de tulipa, que sobe lindamente em espiral pelo edifício sob uma lanterna de vidro. Foi a primeira escada geométrica sem suporte central construída na Grã-Bretanha. Cada degrau é suspenso na parede e apoiado pela escada abaixo dele.


O projeto foi inovador e foi aprimorado ainda mais pelo pedreiro Nicholas Stone. Ele desenvolveu um sistema de “intertravamento” ao longo da parte inferior do espelho, o que significa que os degraus não dependem apenas da sobreposição para suporte.


A escada de tulipas estão localizadas dentro da Casa da Rainha do século XVII e você terá que procurar bem para encontrá-las. Sem dúvida, é uma das características mais impressionantes do edifício.


A escada em espiral sem suporte é uma elegante maravilha da arquitetura, apresentando ferragens forjadas em um azul brilhante que contrastam impressionantemente com as paredes brancas que a cercam. Ainda hoje, quase 400 anos depois de ter sido construída, a escadaria é de tirar o fôlego!


Escadaria de tulipas irmãs viajantes
A Lou tentando fazer uma foto conceito com a famosa escadaria de tulipas

Escadaria Tulipa – O que está no nome

Obviamente a escada recebeu esse nome devido às flores de ferro forjado em seu corrimão azul que parecem um pouco com tulipas. No entanto, acredita-se agora que as flores sejam flores-de-lis, os lírios estilizados que eram o emblema da família da Rainha Henrietta.


A referência às tulipas parece ter surgido de um simples erro. Um ferreiro responsável pela reparação da balaustrada de ferro em 1694, utilizou a palavra “tulipas” nas suas notas – uma referência que posteriormente pegou. Provavelmente deveria se chamar The Lily Staircase.


Uma das características mais marcantes da escadaria branca é o azul deslumbrante da ferragem. Não havia pigmento azul estável disponível quando a escada foi originalmente pintada, então foi usado “smalt” – que é feito com vidro de cobalto em pó. A ferragem da Escadaria Tulipa foi restaurada nos últimos anos, mas foi tomado muito cuidado para reproduzir o acabamento original em smalt.


Curiosidade: Além de sua beleza e importância arquitetônica, a escadaria de tulipas também é famosa pela ‘foto fantasma’ tirada em 1966.


A fotografia da escada foi tirada pelo reverendo canadense aposentado RW Hardy, que estava visitando a Queen’s House com sua esposa. Desejando tirar uma foto que destacasse a beleza da escadaria, ele se certificou de que não havia visitantes a utilizando no momento e que estava completamente vazia.


Ao revelar o filme em seu retorno ao Canadá, ele descobriu que sua fotografia parecia mostrar 2 ou possivelmente 3 figuras envoltas subindo a escada. Especialistas dizem que a foto não mostra sinais de adulteração… e a 'visão' permanece um mistério até hoje!


Não vimos nenhum fantasma quando visitamos e não havia figuras estranhas nas fotos que tiramos, mas nunca se sabe, né?!


Escadaria de tulipas em Greenwich em Londres
Foto tirada pelas irmãs viajantes


História e Interior

A Casa da Rainha sofreu algumas mudanças ao longo dos anos, com salas de ponte leste e oeste adicionadas por Charles II em 1661. Mais tarde, foi usada como residência de 'graça e favor' para artistas e servos reais durante a maior parte do século XVIII, mas gradualmente caiu em mau estado.


Em 1806, tornou-se o lar do Royal Naval Asylum – uma escola residencial para filhos órfãos de marinheiros britânicos. Nessa época, foram acrescentadas novas alas e passarelas cobertas que ligavam a casa aos demais edifícios. Em 1933 a escola mudou-se para Suffolk e em 1934 a Queen's House foi adquirida pelo Museu Marítimo Nacional.


A Queen’s House é um edifício classificado como Grau I e – desde 1934 – contém uma galeria de arte. Exposições recentes incluíram obras de Hogarth, Gainsborough, Reynolds e van de Veldes.


O edifício foi fechado para conservação de 2015 a 2016 e agora apresenta um novo e espetacular afresco no teto folheado a ouro no Salão Principal. O trabalho foi realizado pelo artista vencedor do prêmio Turner, Richard Wright. Ele foi o primeiro artista a trabalhar neste teto desde 1639.


Outros elementos interessantes a observar na Casa da Rainha incluem o teto pintado de estilo “grotesco” da Câmara da Rainha e a madeira pintada original do Grande Salão. O piso de mármore preto e branco lindamente colocado da década de 1630, com vista para a galeria do primeiro andar, é provavelmente a característica mais impressionante da casa, depois da Escadaria Tulipa.


Dica das irmãs viajantes: Reserve um momento para apreciar as vistas excepcionais das janelas do andar superior. É um ótimo lugar para apreciar a bela simetria de todo o local de Greenwich.

Greenwich em Londres


Informações Práticas para visitar a Queen's House

A Queen’s House em Greenwich está aberta diariamente, inclusive feriados, das 10h às 17h. A entrada é gratuita para todos.


Algumas partes da casa (geralmente os Salões, o Orangery e o Salão Principal) estão fechadas ao público em geral em determinados horários. Isso geralmente ocorre durante o verão, quando são usados ​​para casamentos ou outros eventos privados.


Aqui você poderá encontrar horários de funcionamento e mais informações práticas para visitar a Queen's House. Embora seja gratuito, hoje em dia recomenda-se reservar com antecedência um horário de entrada marcado.


Existem banheiros acessíveis para cadeiras de rodas e fraldários no subsolo, bem base da famosa escadaria de tulipas.


Você pode pegar emprestado uma cadeira de rodas para usar durante a sua visita, mas elas são muito procuradas, por isso é uma boa ideia reservar com antecedência. Todos os pisos têm acesso por elevador – mas se necessitar de acesso nivelado ao edifício, utilize a entrada da casa ao fundo.


Visitar a Queen’s House e ver a famosa Tulip Stairs em espiral é definitivamente uma das melhores coisas para fazer em Greenwich. Convenientemente localizada perto das outras principais atrações de Greenwich mencionadas acima, a Queen’s House não requer muito tempo para ser visitada e é – na nossa opinião – um dos melhores lugares para ver em Greenwich!


3. National Maritime Museum

O Museu Marítimo Nacional é um local muito interessante e às vezes passa despercebido por muitos. Embora seja voltado principalmente para crianças, oferece exposições fascinantes e interativas, como a formação de ondas e tsunamis. A entrada no museu é gratuita, então não perca!


Um dos principais motivos para visitar o Museu Marítimo Nacional é a famosa pintura ‘A Batalha de Trafalgar, 1805’ de J.M.W. Turner. É realmente impressionante, sem dúvida, mas definitivamente não é o único destaque deste museu.


A vasta e importante história marítima da Grã-Bretanha é celebrada neste fascinante museu, que originalmente era uma escola para filhos de marinheiros.


Uma exposição notável é sobre a exploração dos polos, que mostra cronologicamente a evolução das técnicas de exploração na Antártida. É impressionante ver as condições precárias enfrentadas pelos cientistas no século XIX, com roupas inadequadas, falta de instrumentos de comunicação, e conhecimento limitado, e mesmo assim, conseguirem descobertas significativas.


Outra exposição fantástica é sobre técnicas de navegação, destacando os navegadores portugueses. Há uma ala dedicada à Escola Marítima Portuguesa, cobrindo a descoberta do Novo Mundo, a colonização do Brasil, o Cabo da Boa Esperança, o comércio com a Índia, e a exploração da África. A exposição mostra como a soberania portuguesa, por mais de 100 anos, transformou o mundo, com destaque para Vasco da Gama e miniaturas das naus portuguesas.


O museu foi recentemente ampliado. Ao navegar pelos artefatos e ler a sinalização, você encontrará histórias de exploração, pirataria, comércio mundial, desafios de ambientes polares extremos e muito mais. Há algumas coisas verdadeiramente fascinantes para ver, incluindo o uniforme que o almirante Lord Nelson usava quando morreu (você pode até ver o buraco da bala).


Existem duas galerias apenas para crianças. A galeria ‘Ahoy Kids’ foi projetada para bebês e crianças de até 7 anos e oferece muitas atividades práticas. A galeria ‘All Hands’ é destinada a crianças mais velhas e permite-lhes disparar um canhão, carregar carga e até preparar comida na cozinha de um navio!


Não deixe de conferir também o ‘Grande Mapa’ no centro do museu. Divertidos para crianças e adultos, os tablets com telas sensíveis ao toque dão vida a histórias de piratas, expedições e muito mais enquanto você caminha pela superfície do mapa.


O museu é grande, então se você tiver apenas um dia em Greenwich, não conseguirá ver tudo, mas definitivamente vale a pena uma visita, mesmo que seja apenas por meia hora.


Informações práticas: Aberto diariamente das 10h00 às 17h00. Não precisa de ingresso (é gratuito) e não precisa reservar com antecedência, embora possa haver cobrança para exposições especiais. Acessível a cadeiras de rodas. Há também um restaurante e um café.


É bom saber se estiver visitando crianças: A Ahoy Kids Gallery é gratuita em dias letivos, mas com ingressos nos finais de semana e férias escolares, em um esforço para manter a multidão baixa e tornar a experiência o mais agradável possível. A Galeria All Hands Kids está aberta durante todo o dia aos fins de semana, às terças-feiras e durante as férias escolares, e das 14h00 às 17h00 nos restantes dias.


Dica das irmãs viajantes: Recomendamos visitar o Museu Marítimo antes de visitar o Cutty Sark – isso realmente vai ajudar a ter uma idéia do lugar do navio na história!

4. Cutty Sark

Uma atração imperdível de Greenwich, a premiada exposição Cutty Sark oferece uma amostra de como deve ter sido a vida dos marinheiros no século XIX.


O nome ‘Cutty Sark’ é uma palavra escocesa do século XVIII para ‘anágua curta’ e foi usado no famoso poema Tam O’Shanter de Robert Burns… embora ninguém pareça saber por que esse foi o nome dado ao navio!


Construído em Glasgow em 1869, o Cutty Sark foi o navio mais rápido de sua época. Foi construído para trazer o chá da China para a Inglaterra o mais rápido possível e já visitou quase todos os principais portos do mundo.


Após anos de serviço, tornou-se um navio de treinamento para cadetes navais britânicos e, em 1951, foi resgatado de uma possível remessa para o ferro-velho por um grupo de admiradores conhecido como “The Cutty Sark Society”. Colocado em doca seca em Greenwich em 1954, quase ficou em ruínas quando foi devastado por um incêndio em 2007. Mas a remodelação subsequente melhorou-o mais do que nunca. Visitar o Cutty Sark é, sem dúvida, uma das melhores coisas para se fazer em Greenwich.


As crianças vão adorar tocar o sino do navio e participar de muitas atividades interativas. Há um guia de áudio gratuito que explica a história e as características do navio. Mas o que lhe dá vida são as excelentes atuações de atores vestidos com trajes de época e descrevendo suas vidas no mar.


Todo o navio fica sobre um pedestal de vidro e é elevado 3 metros acima do nível do solo, então agora é possível explorar sob o casco – uma experiência incrível! Há uma coleção impressionante de figuras de proa no convés inferior, com um café na outra extremidade. Você pode até reservar um chá da tarde no Cutty Sark.


Grande parte do museu fica dentro de casa, então ainda vale a pena visitar o Cutty Sark em um dia chuvoso. E se puder, volte depois do anoitecer, quando o navio estiver lindamente iluminado – é uma visão majestosa!


Informações práticas: Aberto diariamente das 10h00 às 17h00 (o horário pode ser alargado durante os meses de verão). Acessível a cadeiras de rodas. Você pode comprar ingressos online (que é um pouco mais barato). Se você também estiver visitando o Observatório Real, poderá adquirir um ingresso combinado para ambas as atrações.


The Cutty Sark - O único navio cortador de chá original do século XIX na Terra


Horário de funcionamento: 10h às 17h, 7 dias por semana

Estação mais próxima: Greenwich (linha principal)

Você logo descobrirá, ao passar um tempo na Grã-Bretanha, que esta é uma nação que adora chá. Essa é apenas uma das razões pelas quais o Cutty Sark é um dos lugares mais populares para se visitar em Greenwich.


5. Greenwich Market

A poucos minutos a pé do Cutty Sark e do Old Royal Naval College fica o Greenwich Market. Datado de 1700 e o único mercado histórico de Londres classificado como Patrimônio Mundial, o mercado de Greenwich realmente oferece algo para todos.


O mercado vibrante e movimentado, embora pequeno em tamanho, está repleto de barracas e lojas independentes de nicho que oferecem de tudo, desde arte, artesanato e presentes feitos à mão até moda e joias exclusivas. Diferentes fornecedores estão lá em dias diferentes: segunda, quarta, sexta, sábado e domingo tendem a ser mais focados em artes, artesanato e designers, enquanto terça, quinta e sexta são para antiguidades e itens colecionáveis.


Você também encontra barracas que oferece algumas das melhores comidas de rua de Londres. Existem várias opções! Muitos tipos de culinária de todo o mundo podem ser encontrados aqui, desde pratos vegetarianos etíopes e refeições caseiras de Punjabi até fast food saudável do Mediterrâneo Oriental. E, claro, este é um bom lugar para experimentar a comida tradicional britânica.


Uma grande desvantagem de comer no Greenwich Market é que não há muitos lugares disponíveis nas barracas de comida, então você pode ter que ficar de pé para comer. Alternativamente, você pode levar para o parque e fazer como os Ingleses.


Informações práticas: O mercado está aberto diariamente, das 10h00 às 17h30, incluindo fins de semana e feriados. O mercado é coberto, então você também pode visitá-lo na chuva. Embora a maioria das barracas e lojas aceite pagamentos com cartão, algumas aceitam somente dinheiro, portanto, certifique-se de ter alguns em mãos.


Se você gosta do Greenwich Market, vai adorar ainda mais o Camden Market. É um dos mercados mais exclusivos e legais de Londres. Ou também o Borough Market, o mercado mais antigo de Londres.



Greenwich em Londres
Observatório na colina - foto tirada da Queen's house


6. Royal Observatory Greenwich (Observatório Real)

Fundado em 1676 pelo rei Charles II, o Observatório Real é um dos lugares imperdíveis de Greenwich. Se você está interessado em sua história, fascinado pela astronomia, intrigado pelo conceito de cronometragem, ou simplesmente deseja ficar na linha que divide os hemisférios oriental e ocidental, você definitivamente deveria visitar o Observatório de Greenwich.


Construído no local das ruínas do Castelo de Greenwich, o Observatório começou como casa e local de trabalho para o “observador astronômico” nomeado pela realeza, John Flamsteed. Se você der uma olhada no jardim próximo à Flamsteed House, verá um poço. Flamsteed colocaria um colchão no fundo deste poço de 30 metros de profundidade e depois faria observações através de um vidro. Com o tempo, mais instrumentos foram adicionados e o edifício foi ampliado.


Ao visitar o Observatório, você verá os instrumentos utilizados no passado, que foram remontados em seus locais originais. Você também pode ver o Grande Telescópio Equatorial – o maior telescópio histórico do Reino Unido e o 7º maior do mundo. O Grande Telescópio Equatorial é, na verdade, gratuito para visualização. Você pode acessá-lo através da loja de presentes.


As exposições também incluem relógios e relógios históricos, incluindo um exclusivo Dolphin Sun Dial, além do Shepherd Gate Clock, que é montado na parede do lado de fora do portão. Este relógio foi o primeiro a exibir o horário de Greenwich (GMT) ao público!


Mas provavelmente o principal motivo para vir aqui é aprender mais sobre o horário de Greenwich (Greenwich Mean Time) e ver a Linha Meridiana Principal, que divide os hemisférios oriental e ocidental desde o século XIX. Você pode encontrar mais informações sobre o Meridiano Principal mais abaixo.


Dependendo do horário da sua visita, você poderá ver a bola vermelha do tempo caindo na torre leste. Acontece às 13h todos os dias. Historicamente, isso foi usado para sinalizar a hora para os barcos no Tâmisa.


Informações práticas: O Observatório Real está aberto diariamente das 10h00 às 17h30 (o horário pode ser alargado no verão). Você pode reservar os ingressos com antecedência; um tour de áudio está incluído. Como mencionado antes, você também pode obter um ingresso combinado para Cutty Stark e Royal Observatory, o que economizará algum dinheiro.


Nota importante: O edifício fica no topo de uma colina bastante íngreme no Royal Greenwich Park. Embora isso proporcione vistas deslumbrantes do horizonte de Londres e de Canary Wharf, significa que pode ser de difícil acesso se você tiver problemas de mobilidade.


Linha do Meridiano de Greenwich

Em 1884, Greenwich foi escolhido como o Meridiano Principal do Mundo, tornando-o o centro da hora mundial e o ponto de partida de cada dia, ano e milénio. Até então, não existia um padrão de horário internacional – as cidades apenas mantinham a sua própria hora local!


A Linha do Meridiano Principal que atravessa Greenwich vai do pólo Norte ao pólo Sul e representa 0° de longitude – a linha a partir da qual todas as outras linhas de longitude são medidas. É considerado um dos lugares imperdíveis de Greenwich.


O fato de dividir o mundo em hemisférios oriental e ocidental torna-o uma atração extremamente popular. Você pode tirar uma foto – literalmente – com um pé no leste e outro no oeste! O ponto mais popular para ver a Linha Prime Meridian é no pátio do Observatório Real e você precisará de um ingresso para isso!


No entanto, você não precisa necessariamente pagar para ver a Linha Meridian; também há lugares para ver de graça. Aqui estão algumas outras opções interessantes onde você pode ver a Linha Meridian:


  • Mesmo à saída dos portões principais do Observatório, existe um beco. Se você descer até lá, verá a marca da linha longitudinal original.

  • Alternativamente, você pode visitar o Meridian Lounge no InterContinental Hotel em Greenwich, onde está marcado em um pilar.

  • A Escola Primária Meridian tem isso marcado no playground.

  • Se você visitar o Greenwich Park e dar uma olhada nas quadras de tênis, notará uma linha azul passando por elas. Esse é o Meridiano Principal também!


7. Planetário Peter Harrison

O Planetário Peter Harrison no Observatório Real de Greenwich é agora o único planetário de Londres. Com capacidade para 120 pessoas, oferece uma variedade de espetáculos de laser fascinantes que o transportarão de Londres para galáxias distantes!


O edifício é encimado por um cone truncado de bronze, dentro do qual lasers digitais projetam vistas verdadeiramente deslumbrantes do céu. Seu assento acolchoado e confortável reclina para trás durante os shows, permitindo que você aprecie plenamente as cenas, e o excelente sistema de som torna a experiência muito envolvente. Os comentários ao vivo dos palestrantes são divertidos e realmente contribuem para a experiência.


DICA: Para ter a melhor vista do interior do Planetário, entre na fila com antecedência para poder escolher um assento no meio da fila, mais para trás. Os programas da tarde tendem a ser mais silenciosos (as manhãs são populares nas viagens escolares).


Informações práticas: O Planetário está aberto todos os dias, das 10h00 às 17h00, exceto na primeira terça-feira de cada mês. Por ser um local relativamente pequeno, recomendamos reservar com antecedência online. Não só é mais barato do que subir a pé, mas também lhe dá a oportunidade de ver com antecedência quais shows estão disponíveis.


8. Ranger's House

Na fronteira entre Greenwich Park e Blackheath fica a Ranger’s House. Esta elegante villa georgiana tem a sua própria história interessante, mas o que realmente vale a pena visitá-la é a fabulosa colecção de arte no seu interior.


A Ranger’s House foi construída em 1723 para um capitão da marinha e mais tarde tornou-se a residência dos guardas florestais do Greenwich Park. Até 1902, permaneceu como residência da realeza e dos aristocratas, mas foi então comprado pelo Conselho de Londres e usado como vestiários e salão de chá. A casa foi posteriormente restaurada e adquirida pela English Heritage em 1986.


A Ranger’s House possui uma impressionante coleção Wernher, composta por mais de 700 obras de arte, incluindo esculturas medievais, joias ornamentadas, pinturas renascentistas, tapeçarias francesas e belos esmaltes. Eles foram acumulados por Sir Julius Wernher, que fez fortuna no negócio de diamantes no século XIX.


Curiosidade: Ranger's House desempenha um papel principal na popular série de televisão da Netflix, Bridgerton. Como fachada da residência da família Bridgerton, a Rangers' House é um autêntico cenário georgiano com uma história tão fascinante quanto o drama de sucesso da Netflix.


Informações práticas: A entrada na Casa do Ranger é cobrada e o horário de funcionamento varia a cada semana. Você pode encontrar mais detalhes e os horários de funcionamento atuais aqui. Se você estiver visitando crianças muito pequenas, esteja preparado para deixar o carrinho do lado de fora, pois não é permitido entrar em casa.



Greenwich em Londres
Irmãs Viajantes


9. Greenwich Park

Com seus belos jardins, rica história e vistas icônicas, o Greenwich Park é outro ótimo complemento para sua lista de coisas para fazer em Greenwich. Tem algo para todos os gostos e é o local perfeito para desfrutar de um piquenique ou de um tranquilo passeio reflexivo.


O parque possui diversas áreas. Dependendo de quanto tempo você tem, você poderá ver os que mais lhe interessam.


No lado leste, você verá o Jardim das Rosas, que serve de pano de fundo para a Casa do Ranger. Originalmente plantado no início da década de 1960, o jardim apresenta o seu melhor quando está em flor, durante os meses de junho e julho.


O jardim de flores em estilo eduardiano, no sudeste do parque, também merece uma visita e é um local encantador para ver o lago e o parque de cervos, The Wilderness.


De abril a outubro, você pode passear de barco no lago, o que é uma ótima maneira de passar uma hora em uma linda tarde.


Outros pontos de interesse incluem a estátua do General James Wolfe, o Coreto e o Queen's Orchard - uma área fechada onde são cultivadas frutas e vegetais. Ao lado do lago para passeios de barco, você encontrará o Relógio de Sol Millenium, que informa a hora e a direção do sol.


Dica das irmãs viajantes: Para obter as melhores vistas panorâmicas de Londres, caminhe até o topo da colina que leva ao Observatório. É uma subida bastante íngreme e desafiadora, mas vale a pena o esforço quando você chega ao topo

Informações práticas: O Greenwich Park está aberto diariamente a partir das 6h, mas o horário de fechamento varia dependendo da estação (normalmente pelo menos às 18h, mas no verão é das 21h às 21h30). São frequentes os eventos realizados no Parque – mais informações aqui.


10. Greenwich Tunnel

Construído em 1902, esta façanha da engenharia vitoriana corre 15 metros abaixo da superfície do Tâmisa e oferece uma maneira única (e gratuita!) de atravessar o rio. Greenwich Foot Tunnel é uma das atrações menos conhecidas de Greenwich, mas definitivamente vale a pena uma visita. Afinal, não é todo dia que você caminha por baixo do Tâmisa!


O túnel percorre 370 m entre Cutty Sark de um lado, até Island Gardens e Tower Hamlets do outro. É uma caminhada fácil, que leva cerca de 10 minutos, mas é literalmente caminhar na história!


O túnel foi originalmente construído para facilitar o trabalho dos residentes de Londres nos estaleiros e nas docas do lado norte do rio, independentemente do clima. Apesar da recente remodelação, as características vitorianas originais do túnel – e dos elevadores em cada extremidade – foram preservadas. Você também pode ver uma área que foi reparada após ser danificada durante a primeira noite da Blitz na Segunda Guerra Mundial.


Você pode encontrar a entrada do túnel procurando a cúpula envidraçada ao lado do Cutty Sark (há uma correspondente do outro lado). Você pode subir e descer as largas escadas em espiral – que têm cerca de 100 degraus – ou usar os elevadores.


Vale a pena fazer a caminhada para ter as vistas dos Island Gardens, no lado norte do Tâmisa. A Queen’s House, o Old Royal Naval College e o Royal Observatory podem ser vistos do miradouro.


Informações práticas: O uso do túnel é gratuito. Está aberto 24 horas por dia e monitorado para segurança. Acessível a cadeiras de rodas.


11. Trafalgar Tavern

Se você visitar apenas um pub em Greenwich, escolha o The Trafalgar Tavern. Este pub de Greenwich, na margem sul do rio Tâmisa, próximo ao Old Royal Naval College, está classificado como Grau II, o que significa que é um local de especial interesse, justificando todos os esforços para preservá-lo. Definitivamente um dos lugares para ver em Greenwich!


A Trafalgar Tavern foi inaugurada em 1837 e foi cenário do café da manhã de casamento de Charles Dickens em “Our Mutual Friend”. Também foi usado frequentemente para jantares políticos pelo partido Liberal na época vitoriana.


Servindo como lar para marinheiros aposentados durante a Primeira Guerra Mundial, reabriu como pub em 1965 e ainda mantém muitas de suas características originais. Da encantadora área externa de bebidas de paralelepípedos às belas vistas do Tâmisa a partir das grandes janelas georgianas, a Trafalgar Tavern é um ótimo local para relaxar no final de um dia agitado.


Informações práticas: A Trafalgar Tavern está aberta diariamente das 11h00 às 23h00.


Greenwich em Londres
Foto tirada da praça em frente ao observatório real

Coisas para fazer em Greenwich: Perguntas frequentes

Por que Greenwich é tão famoso?

Greenwich é conhecida principalmente como o lar da Linha Meridiana Principal, que determina 0° de longitude. Greenwich Meantime também se originou no Royal Borough. Vários monarcas britânicos também nasceram na Queen’s House. A área também está associada à história marítima e é onde se encontra o Cutty Sark.


Greenwich é classificado como Londres?

Greenwich é oficialmente conhecido como Royal Borough of Greenwich – ou London Borough of Greenwich. Então sim, é de fato parte de Londres. A área fica a sudoeste da cidade, na margem sul do rio Tâmisa. Era uma vez, porém, classificado como pertencente ao condado histórico de Kent.


Como Greenwich recebeu esse nome?

A parte ‘Verde’ é simples e completamente autoexplicativa. Quanto a ‘Qual’, diz-se que o termo se refere a uma cidade, porto ou local de comércio. Portanto, Greenwich se traduz literalmente como lugar verde, cidade ou porto. Vem do termo latino ‘Vicus’, que significa uma aldeia rural ou bairro urbano.


O que fazer em Greenwich em Londres em 1 dia: Conclusão

Se você não sabe o que fazer em Greenwich Village, Londres, espero que este artigo tenha lhe dado alguma orientação.


Visitar Greenwich em Londres pode ser um ponto alto de qualquer viagem às Ilhas Britânicas, quer você goste de arquitetura, arte, história marítima, gastronomia ou até mesmo vida selvagem.


Faça o que fizer e por mais tempo que fique, sabemos que você se divertirá muito lá!

Planejando uma viagem para Londres ou qualquer outro destino no Reino Unido?


Sinta-se à vontade para explorar todas as valiosas dicas disponíveis no site e canal no YouTube EmiLou Day By Day, que estão aqui para ajudar o seu planejamento.



Não deixe de conferir as recomendações de pubs e restaurantes, dicas de passeios bate e volta saindo de Londres, além das informações mensais sobre Londres, sempre atualizadas para manter você informado sobre os eventos mais interessantes ao longo do ano. Descubra todas as dicas para aproveitar Londres e o Reino Unido por quem entende de verdade! Irmãs Viajantes UK Travel Experts  🇬🇧✈️

コメント


bottom of page